Técnico: profissional que faz a diferença.

3 12 2009
Entenda por que técnicos com “algo mais” são valorizados no mercado.

Não é deste tipo de técnico que estamos falando, não...Mas também faz a diferença e como diz a galera "representa".

 Em um mercado altamente competitivo as organizações empresariais tem de conviver com uma realidade matemática, onde as metas são cada vez maiores e mais agressivas, com equipes e prazos cada vez mais reduzidos e maior exigência dos consumidores que querem maior qualidade de produtos e serviços.

E nesta equação a valorização do profissional de nível técnico se torna proporcional no meio corporativo.

Conforme dados elencados pela Confederação Nacional das Indústrias (www.cni.org.br) as empresas vem empreendendo um verdadeiro trabalho hercúleo para encontrar profissionais que se enquadrem em perfis cada vez mais rigorosos.
Vagas existem, isto é bem verdade, mas para pessoas capazes de aliar qualificação técnica ao desenvolvimento e aperfeiçoamento das competências que o mercado necessita.

Eureka! O futuro que me aguarde!

E até mesmo para quem nutre o sonho de ser seu próprio chefe, conhecimento prático e experiência são importantes e se pode conseguir tudo isso fazendo um bom curso técnico. Que o diga o grande Max Gehringer em sua coluna na rádio CBN; confira o que o “Cara” no mundo corporativo tem a dizer sobre cursos técnicos aqui.
Segundo pesquisa empreendida pelo MEC  com 2.657 ex alunos de cursos técnicos, a taxa de empregabilidade dos egressos dos cursos entre 2003 e 2007 foi de 72%, sendo que desses, 65% trabalham em sua área de formação e os números se tornam mais expressivos quando são avaliados apenas os trabalhadores do sexo masculino, neste caso, se chega a 71%.

Não se deixe infectar pelo vírus do bacharel que aflige boa parte dos jovens no Brasil. Não seja mais um zumbi com diploma superior na caça de uma chance no mercado de trabalho, implorando por "mioooolooos" como faz um zumbi. Fica esperto(a)!

Viu? Se você quer conhecimento, aprendizado, experiência e carreira o curso técnico te dá o impulso que falta.

Procure uma instituição de ensino técnico séria, procure conhecer a estrutura da escola, grade curricular do curso, procure verificar a autorização dos cursos junto ao Conselho Estadual de Educação, se o estabelecimento de ensino está de acordo com as determinações legais.

Em Santa Catarina mais especificamente na cidade de Brusque e região você pode contar com a Escola D’Sagres que possui cursos técnicos de altíssimo nível, devidamente autorizados pelo órgão responsável e acima de tudo uma Instituição de ensino que trabalha sua inteligência, visando sempre o aperfeiçoamento de seu currículo!

Confira a regularidade das instituições de ensino técnico acessando o Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional e Tecnológica do MEC: http://sistec.mec.gov.br/consultapublicaunidadedeensino# 

 E lembre-se disto, o curso técnico é ensino que vira emprego!
 




Cursos técnicos por Max Gehringer.

12 11 2009

Ouça os comentários de ninguém menos que Max Gehringer, na Rádio CBN, sobre os benefícios de se optar por um curso técnico ou por uma graduação.

De forma prática e clara ele diferencia os cursos tecnológicos dos bacharelados e aponta para a praticidade de se optar pelo ensino técnico.

max-gehringer

Ninguém rrrresiste ao meu chalme!

Sem mais delongas clique aqui e confira o que o “Cara” no mundo corporativo tem a dizer.

Fontes: mktescolastecnicas.wordpress.com; Rádio CBN.





Quer conhecimento, experiência e emprego? Faça um curso técnico!

28 10 2009

Se você colocou na cabeça que a melhor solução para o sucesso profissional é entrar na faculdade imediatamente, pare para pensar.

homem-gritando

Palma, palma não criemos cânico! Uma dica: faça uma escolha em que você ganhe conhecimento, tempo, experiência e mercado.

Mas o que está acontecendo com o mercado de trabalho? Se de um lado, há um batalhão de candidatos, principalmente jovens entre 17 e 25 anos, com formação superior, que não conseguem emprego, do outro lado, as empresas estão dizendo que as vagas existem, mas faltam candidatos qualificados. Como se explica isso?

No Brasil ainda é forte a cultura do bacharel, predomina aquela impressão de que um diploma de curso superior, qualquer que seja, irá resultar em muito mais oportunidades do que um diploma de curso técnico.

Algo que na prática acaba por se demonstrar falacioso, pois, o curso técnico proporciona a tão requisitada experiência de trabalho, de vivência, de rotina que o mercado tanto preza e isso acaba sendo uma vantagem frente os cursos superiores.

Se na graduação tradicional, o estudante demora, em média, quatro anos para receber o seu diploma, o curso técnico forma um profissional numa média de 1,5 ano.

Outra vantagem deste curso é em relação ao valor da mensalidade, os cursos técnicos são, no geral, mais baratos que os tradicionais e os alunos, por se formarem mais rápido, gastam menos.

infografico

Vim, Vi e Venci! E tenho dito.

 Conforme a Confederação Nacional das Indústrias(CNI) 61% das empresas pesquisadas estão capacitando seus próprios técnicos, a falta de técnicos é tão acentuada que algumas empresas estão empreendendo parcerias com escolas profissionalizantes para qualificar seus funcionários. 

Segundo pesquisa empreendida pelo MEC  com 2.657 ex alunos de cursos técnicos, a taxa de empregabilidade dos egressos dos cursos entre 2003 e 2007 foi de 72%, sendo que desses, 65% trabalham em sua área de formação. O número fica ainda maior quando são avaliados apenas os trabalhadores do sexo masculino, neste caso, se chega a 71%.

Outro indicador positivo é o alto nível de satisfação dos ex alunos com a carreira que fica na casa dos 86%, justamente por conta dos altos índices de absorção pelo mercado de trabalho.

Champion

Eu sou o Cara! We are the champion my friend...

A pesquisa revela ainda que o “salário também ajuda, já que 59% dos entrevistados consideram que recebem a média salarial compatível com o mercado e 11% julgam receber quantias maiores que a média”.

As diferenças entre os sexos são maiores: “apenas 6% das mulheres que fizeram curso técnico acreditam receber mais que a média do mercado, com os homens, é mais que o dobro: 14%. Já entre os que confirmam receber menos que a média, os homens são minoria, 26%. Entre as mulheres a porcentagem é 37%”.

A qualidade do emprego também é grande: “dos entrevistados, 59% têm a carteira de trabalho assinada pelo atual empregador, 14% são funcionários públicos concursados e 3% são donos de negócio”.

objetivo

Acho que os dois ali de cima fizeram curso técnico!

Se você quer conhecimento, aprendizado, experiência e carreira o curso técnico te dá o empurrão.

Procure uma instituição de ensino técnico séria, procure conhecer a estrutura da escola, grade curricular do curso, procure verificar a autorização dos cursos junto ao Conselho Estadual de Educação, se o estabelecimento de ensino está de acordo com as determinações legais.

Acesse o site do SISTEC que é o Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional e Tecnológica do MEC  http://sistec.mec.gov.br/consultapublicaunidadeensino#. 

Este sistema disponibiliza, mensalmente, informações sobre cursos técnicos de nível médio, respectivas escolas e alunos desse nível de ensino. 

Todas as unidades de ensino, no país, credenciadas para oferta de cursos técnicos de nível médio, independentemente da sua categoria administrativa (públicas e  privadas, incluindo aquelas referidas no art. 240 da Constituição Federal, de 1988), sistema de ensino (federal, estaduais e municipais) e nível de autonomia, devem se cadastrar no SISTEC.

E aí é só embarcar e curtir a paisagem, que a chegada ao destino será certa!

Curso Técnico é ensino que cria emprego, pense nisso!

www.escoladsagres.com.br

Fontes: info.abril; portal MEC; globo.com; Confederação Nacional das Indústrias (CNI).